DOC

Teatro de GAIA apresenta NA ILHA

By Carlos Reyes,2014-12-06 04:09
8 views 0
Teatro de GAIA apresenta NA ILHA

    TEATRO DE GAIA da Cooperativa Paulista de Teatro

     Apresenta Apresenta Apresenta

     Na Ilha Na Ilha Na Ilha

    Mon Ami Jim- o primeiro livro da consagrada autora Kitty Crowther - é uma bela história. Uma parábola sobre as dificuldades em lidar com a diferença. Jack e Jim, dois pássaros de ”mundos“ distintos, um negro e um branco, um do bosque e um do mar, se descobrem grandes amigos. Mas a afinidade que os une gera estranheza e preconceito na ilha das gaivotas. Tristes com a reação dos outros, não entendem por que a proximidade entre ambos incomoda tanto.

    Adaptada para o teatro por Luis Fabiano Teixeira, e encenada por Alexandre Acquiste este espetáculo baseado na tradição milenar dos contadores de

    histórias - tem como objetivo tratar com leveza e naturalidade temas abordados no cotidiano de toda criança como: A Discriminação Racial, O Valor da Amizade e, de quebra, A Importância do Hábito da Leitura.

    “Quem sabe uma geração de crianças que aprenda a lidar com o outro, com o diferente, de uma forma respeitosa não poderá ajudar na construção de um mundo mais junto e mais feliz? “Na Ilha...”, é um bom ponto de partida”.

SINOPSE

    Jim é uma gaivota. Jack é um melro. Jim

    vive perto do mar. Jack mora no bosque.

    Jack adora ler. Jim usa folhas de livros para

    acender a lareira. Jack é negro. Jim

    é branco. Apesar de tantas diferenças, os

    dois pássaros têm algo em comum: gostam

    de estar juntos. E, mesmo que outras aves

    torçam o bico para isso, eles não perdem

    uma pena de preocupação. Afinal, por que

    é tão difícil aceitar a amizade deles?

    Quando Jack chega à ilha do amigo, não

    sente um ambiente cordial. Isso porque os moradores nunca tinham visto um pássaro todo preto. Pacientes, ao invés de desafiarem a opinião da maioria, o melro e a gaivota seguem suas vidas mesmo sob os olhares de reprovação. Até que algumas gaivotas percebem que Jack pode ensiná-las muitas coisas interessantes, como o prazer das histórias contidas nos livros.

| POR LAURA SANDRONI

    Com as Mil e uma Noites aprendemos que contar uma boa história é uma virtude capaz de ampliar os horizontes do ser humano e até salvar vidas, tal como aconteceu no caso de Scherazade. Em todas as culturas a narrativa oral é a primeira manifestação do imaginário; mais tarde recolhidas e ampliadas por aqueles dotados de talento para escrevê-las, permanecem nos livros, passadas de geração a geração. E assim surgem os que lêem os contos, os casos, as narrativas, para divertir crianças e adultos e conduzi-los ao admirável mundo novo da leitura.

    No caso de Jack, o melro negro de ‘Mon Ami Jim’ e/ou ‘Na Ilha... ’, o fato de saber ler

    permitiu-lhe mostrar uma virtude desconhecida da comunidade de gaivotas aves

    marinhas de penas brancas, e, na história, analfabetas. Leitor apaixonado pelos textos, Jack se torna admirado e querido e a história não diz, mas podemos deduzir

     certamente incentivou o hábito da leitura entre as gaivotas e ainda lhes deu uma bela lição: a cor diferente da plumagem de um pássaro não tem mesmo a menor importância.

    LAURA SANDRONI É CRÍTICA LITERÁRIA E MEMBRO DO CONSELHO DA

    FUNDAÇÃO NACIONAL DO LIVRO INFANTIL E JUVENIL (FNLIJ)

A ENCENAÇÃO

    NA ILHA...” é um espetáculo de

    caráter metalingüístico, que une

    literatura infantil e tradição

    milenar da narrativa oral,

    propondo o equilíbrio entre

    elementos épicos e dramáticos na

    resolução das cenas.

    De forma consciente a estrutura de

    nossa encenação resgata o faz-de-

    conta através do carisma de um

    trio de contadores de histórias que

    utilizam técnicas do teatro de

    objetos, técnicas de clown e música ao vivo para estabelecer uma comunicação direta com o universo infantil.

    A estética simples, porém criativa, possibilita uma rede de reflexões sobre os temas abordados. Por isso apenas objetos considerados essenciais à constituição das cenas foram utilizados como: uma mala-baú, um guarda-chuva, objetos lúdicos como uma lanterna de brinquedo entre outros.

    A representação dos personagens fantásticos, presentes na dramaturgia, é convencionada pelos atores-contadores que de maneira poética utilizam chapéus, adereços cênicos, modulações de vozes, jogos dramáticos e cantigas de roda. É o teatro dentro do teatro, ou melhor dizendo: é a brincadeira dentro da brincadeira. A cenografia compõe de forma dinâmica a cena: adereços minimalistas, dentro de dois círculos desenhados no centro do palco-arena que vão desde um bosque a um mar, ou de uma ilha à casa das personagens, em fração de segundos.

     figurino inspirado na estética artesanal contribui para criar uma atmosfera O

    alegre, com formas simples e cores limpas. Junto ao cenário e ao figurino, a iluminação é um elemento tecnicamente eficiente, na medida em que ela valoriza e ressalta “brilhos” e texturas presentes.

    A música é executada ao vivo pelos próprios atores, que de forma harmoniosa pontuam ações com instrumentos percussivos, característicos às cantigas populares de roda.

    Esta é a nossa forma de irmos contando e cantando sonhos para que eles nunca se percam.

FICHA TÉCNICA

    Concepção Cênica: Alexandre Acquiste

    Direção de Elenco: Apollo Faria

    Dramaturgia: Luis Fabiano Teixeira

    Com : Alexandre Acquiste , Anna Vitello e Apollo Faria Trilha Original : Nilson Castor

    Iluminação, Adereços , Cenografia e Figurinos : O grupo Fotografia: Juliana Pacheco

    Duração: 50 minutos.

    Faixa Etária: a partir de 05 anos

NECESSIDADES TÉCNICAS

    A concepção desta sessão de história possibilita a realização do mesmo tanto em

    um teatro convencional (palco) como em uma área de convivência (ao ar livre),

    necessitando apenas de uma área de 5x5 m?.

ORÇAMENTO

    Inclusos Transporte e Alimentação o espetáculo tem o orçamento de R$ 1.800,00 reais.

FOTOS DO ENSAIO ABERTO DE “NA ILHA”

Junho de 2009/ Fotos de Juliana Pacheco JuP.

BREVE HISTÓRICO DO GRUPO

    Fundado pelo ator Alexandre Acquiste e pela atriz Liz

    Miranda, o grupo TEATRO DE GAIA surgiu em 2005 com

    uma proposta de desenvolver seu próprio núcleo de

    pesquisa teatral voltado ao público infantil, tendo como

    base o exercício da linguagem clownesca em suas várias

    formas de expressão.

    Em 2006, após um ano de pesquisa, o espetáculo

    “BRINCANDO DE CLOWNFABULAR” estreou, cumprindo

    temporada na cidade de São Paulo no Espaço 2 de Artes, e apresentações em unidades da rede SESC-SP como: Piracicaba, Sorocaba, Campinas, Taubaté, Catanduva e Santos. “BRINCANDO...” também foi apresentado nas cidades de São José dos Campos, Jacareí e Ibiúna.

    Em 2007, o Grupo iniciou projeto de pesquisa “Quando A Literatura e o Teatro se Encontram, Boas Histórias Tornam-se Boas Histórias”, resultando no ano de 2008

    em diversos espetáculos de narração de histórias; são eles: “HISTORIAS DE BEM-

    ME-QUER”, “ERA UMA VEZ UM VELHO GATO XADREZ” e “HISTÓRIAS PARA SHAKESPEARE OUVIR/O TÍMON DE ATENAS”, todos realizados dentro da programação de literatura da rede SESC-SP como: Itaquera, Pinheiros, Carmo além de Eventos, Livrarias e Parques Públicos do Estado de São Paulo. O mais novo espetáculo é o infantil “NA ILHA...”, cujo objetivo é de tratar com

    naturalidade, sensibilidade e de maneira cuidadosa temas de grande relevância para a convivência social.

    Clipping do primeiro espetáculo do grupo Teatro De Gaia - BRINCANDO DE CLOWNFABULAR- 2006

     |Para visualizar clipping completo visite ; www.teatrodegaia.blogspot.com

    BREVE HISTÓRICO DOS INTEGRANTES

    ALEXANDRE ACQUISTE DRT 17406/SP

    Profissionalizou-se em 2001, desde então como ator trabalhou com renomados profissionais do mercado nacional: José Celso Martinez Correa, Leona Cavalli, Luciana Domschke , Fransérgio Araújo , Alexandre Borges, Luiz Valcazaras e Wilson Julião . No ano de 2002 integrou o elenco de apoio do Longa-metragem “Carandiru” de Hector Babenco. Estudou Técnicas de Clown com Cristiane Paoli Quito e Bete Dorgan entre 2003 e 2004 no TUSP. No ano de 2005 fundou o grupo TEATRO DE GAIA iniciando o trabalho autoral voltado ao público infantil No ano de 2006 inicia paralelamente os processos de pesquisa do Espetáculo “ SEXO VERBAL” com o Núcleo Cênico Projeto Bazar, sob a coordenação e direção de Rodolfo Lima e Aurea Karpor. Em 2007 como figurinista assistente criou junto com Daniel Ortega figurinos para o Espetáculo “ Trago da Minha Terra o Que Ela Tem de Melhor” pesquisa e adaptações de Ana Maria Barreto e Lucélia Machiaveli

    Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz. Ainda em 2007 cria os figurinos para os Espetáculos “Memórias de Um Realejo” e “Anônimos” ambos de Marcus Lima, Prêmio - PAC. Em 2008 concebe o figurino do Espetáculo “Sexo Verbal” do ProjetoBazar. No ano de 2009 participa como ator de “A Missa Do Galo” Dir. de Aurea Karpor, com o Núcleo Cênico ProjetoBazar No FRINGE/2009. Desde Dez/2008 atua no espetáculo “SEXO VERBAL” Dir. Aurea Karpor.

    Atualmente concebe e atua no espetáculo voltado ao público infantil “ Na Ilha” de Luís Fabiano Teixeira com o Teatro de Gaia.

    ANNA VITELLO DRT /

    APOLLO FARIA DRT /

    Começou sua carreira como ator profissional no ano de 1997, estreando em teatro infantil. Enquanto se formava em interpretação na “Fundação das Artes de São Caetano do Sul”, Apollo se especializava paralelamente na dança e sua influência na

    expressão corporal para a interpretação. Estudou balé clássico (Escola Municipal de Bailado SP), jazz e sapateado americano (Promenade Studio de

    Dança).Durante sua carreira, se aperfeiçoou estudando e trabalhando com renomados profissionais do mercado nacional: Antunes Filho,Bibi Ferreira,Gerald Thomas,Dionísio Neto,Antônio Abujamra,Francisco Medeiros. E entre os profissionais / Cias. internacionais: Catherine Marnas & Compagnie Dramatique Parnas (França),Frank Castorf (Alemanha)e Christoph Schlingensief (Alemanha). Atualmente é diretor de elenco e ator do espetáculo voltado ao público infantil “ Na Ilha” de Luís Fabiano Teixeira com o Teatro de Gaia

    CONTATOS DA PRODUÇÃO Alexandre Acquiste Sócio n. 3102 da cooperativa paulista de teatro DRT 17-406

    Tel - 11- 2738-0694 Cel. - 11- 9316-3271 Apollo Faria

    DRT :16297

    11 2545 5396

    11 7315 9665

    e-mail: grupoteatrodegaia@yahoo.com.br

Report this document

For any questions or suggestions please email
cust-service@docsford.com